sábado, março 14, 2009

«A Obra de Fernão de Ornelas na Presidência da Câmara Municipal do Funchal, 1935-1946» - Agostinho do Amaral Lopes

Edição: Funchal 500 Anos
Idioma: Português
Formato: 17 x 24 cm
Páginas: 315
ISBN: 978-989-95704-2-9
Preço: 16 €

O presente estudo resultou da motivação que esta época e a figura de Fernão Manuel de Ornelas Gonçalves suscitaram ao elaborar os primeiros trabalhos no âmbito do mestrado em História e Cultura das Regiões, pela Universidade da Madeira, sob orientação do Professor Doutor Rui Carita.
A percepção, por um lado, que muito pouco era ainda conhecido relativamente à grandiosidade da obra que o político realizara, encaminhou-nos decididamente para o trabalho aqui apresentado. Alguns trabalhos, quer em artigos e livros, quer em notícias de jornais, não davam, em nosso entender, a dimensão da obra realizada por Fernão de Ornelas enquanto Presidente da Câmara Municipal do Funchal. Por outro, embora alguns Historiadores houvessem feito um breve resumo dos aspectos que mais marcaram a actuação do Presidente e da sua equipa, salientando as áreas de intervenção e as mais emblemáticas realizações que projectaram o Funchal para o futuro, muitas obras eram ignoradas e, com o tempo, poderiam cair irremediavelmente no esquecimento dos homens. Entendemos assim que um levantamento sistemático dos trabalhos iniciados pela equipa de Fernão Ornelas era essencial à compreensão de toda essa época.
O valor patrimonial dos registos que chegam até nós é bastante diversificado e nem sempre corresponde às expectativas criadas. Todavia, esses registos merecem toda uma muito especial atenção para que não se percam valores irreparáveis.
O Património, que é portanto resultado de uma sociedade, e como tal pertença de todos, tem também de suscitar o interesse da maioria, como se se tratasse de um desafio para cada cidadão, no sentido de colaborar na sua preservação, transmitindo aos vindouros o que subsiste do passado. O emissor de outros tempos, quando chega ao público vê muitas vezes a sua mensagem deturpada. Na Madeira, tal como noutras regiões, o património cultural também sofre adaptações, ou mesmo adulterações, consoante a forma como é abordado. O tempo e as novas necessidades fazem esquecer aspectos da arte, do folclore, da arquitectura e do urbanismo, da pintura e escultura, das organizações e seu funcionamento, em suma, do património cultural real.
Numa altura em que o Funchal iniciou uma série de actividades conducentes às comemorações dos seus quinhentos anos como cidade, a primeira criada de raiz no novo mundo da expansão do Atlântico, o nosso propósito foi o contribuir assim para salvaguardar um património mais recente e, por tal, com mais possibilidades de ser esquecido. Este trabalho pretende ser, dentro das nossas limitações, um contributo para um estudo mais aprofundado sobre as obras realizadas de 1935 a 1946, pela Comissão Administrativa da Câmara Municipal do Funchal. Estas obras, abrangendo várias áreas de realização, ajudam-nos a compreender o verdadeiro valor patrimonial da época em que foram realizadas e ainda a projecção que possuem na actualidade.
Pretendemos assim com este trabalho conhecer melhor a implementação na Madeira do ideário do Estado Novo, procurando a partir das relações de família e institucionais do Dr. Fernão de Ornelas, perceber o alcance que essas relações lhe permitiram no enquadramento da sociedade da época. Procura-se ainda enumerar as necessidades gerais da Ilha, as principais questões políticas, económicas e sociais da época, as instituições e seu funcionamento, bem como os programas do Estado Novo então implementados.
O objectivo, é o de tentar conhecer um pouco mais da realidade histórica madeirense das décadas de trinta e quarenta do século passado, tendo por base a actuação de Fernão Manuel de Ornelas Gonçalves enquanto Presidente da Edilidade do Funchal, bem como de todos aqueles que com ele privaram nas tomadas de decisão.
[Excertos da Introdução da obra]

PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS - Manuel Gomes Branco

Branco , Manuel Gomes – PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS ,  Lisboa: Livraria A. M. Pereira, Imprensa Nacional, 1879-1895. 5 volumes.  In...