segunda-feira, março 16, 2009

«Voto de Pesar» - CMF 13.03.2008

ACTA NÚMERO 10/2008
REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DO FUNCHAL,
REALIZADA EM TREZE DE MARÇO DO ANO DOIS MIL E OITO
.

(...)
VOTO DE PESAR: - Por proposta do Sr. Vereador Artur Andrade,da CDU, a Câmara deliberou, por unanimidade, aprovar o seguinte
Voto de Pesar pelo falecimento do Historiador Joel Serrão:
“Faleceu no passado dia 05 de Março, nos arredores de Sesimbra, o historiador Joel Serrão. Figura de alto relevo na Cultura Portuguesa, Joel Serrão era natural do Funchal, mais precisamente da freguesia de Santo António, onde nascera em 1919. Historiador e ensaísta com vasta obra editada, Joel Serrão licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de
Letras da Universidade Clássica de Lisboa. De 1948 a 1972, Joel Serrão exerceu o magistério liceal em Viseu, no Funchal, em Setúbal e Lisboa. Foi director do Centro de Estudos de História do Atlântico, na Madeira, membro do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian e exerceu funções docentes na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. A sua investigação inclui as áreas da história económica e
sócio-cultural, tendo sido o introdutor da moderna historiografia em Portugal, abrindo ainda muitas linhas de investigação nos domínios da emigração, “Geração de 70” e da História da
Educação. Democrata, sem filiação partidária, Joel Serrão sempre esteve na primeira linha na luta pelas liberdades fundamentais do Povo Português. A Madeira deve-lhe algumas peças de
historiografia incontornáveis. Autor de dezenas de títulos de história, Serrão dirigiu o importantíssimo “Dicionário de História de Portugal”, elaborado ao longo de dez anos, um dos marcos da historiografia portuguesa e obra de referência para o estudo e compreensão do nosso País. Entre as obras publicadas, são de destacar igualmente monografias históricas de cunho económico ou sócio-cultural, edições críticas, temas literários, estudos de personalidades da cultura tais como Cesário Verde, Sampaio Bruno, António Nobre, Fernando Pessoa, Antero de Quental, Vieira de Almeida e António Sérgio. Assim, a CMF manifesta o seu pesar pelo desaparecimento desta figura ímpar da nossa Cultura que foi Joel Serrão, e endereça à sua família as suas mais sentidas condolências”.

Atribuição do nome de Joel Serrão a um arruamento no Concelho do Funchal: - Por proposta do mesmo Vereador, cujo teor abaixo se transcreve, a Câmara deliberou, por unanimidade, incluir na listagem de personalidades a homenagear o nome do Historiador Joel Serrão:
“A Câmara Municipal do Funchal, reconhecendo o grande contributo dado pelo historiador Joel Serrão, natural deste concelho, à Cultura do nosso País, e como forma de homenagear este ilustre “filho da terra”, delibera atribuir o seu nome a um arruamento, já existente ou ainda por construir, no concelho do Funchal”.

extraído da Acta da CMF
in http://www.cm-funchal.pt/cmf/Documents/Legislacao_Cidadania/actas_reuniao/2008/ACTA%2008.03.13.pdf
Nota do blogue: Homenagear o Dr. Joel Serrão desta forma, atendendo à dimensão cultural que este nosso conterrâneo obteve por mérito próprio, é insuficiente.
Qualquer homenagem póstuma sabe sempre a pouco, mas que a mesma seja digna da dimensão da pessoa homenageada.
O que foi feito até à data?
Que será feito do espólio deste grande historiador?

PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS - Manuel Gomes Branco

Branco , Manuel Gomes – PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS ,  Lisboa: Livraria A. M. Pereira, Imprensa Nacional, 1879-1895. 5 volumes.  In...