sábado, março 14, 2009

«As Saudades da Terra» - Gaspar Frutuoso; Anotações de Álvaro Rodrigues de Azevedo

Edição: Funchal 500 Anos
Idioma: Português
Formato: 17 x 24 cm
Páginas: 920
ISBN: 978-989-95637-0-4


Preço: 35 €

AS SAUDADES DA TERRA de Gaspar Frutuoso com Anotações de Álvaro Rodrigues de Azevedo
As Saudades da Terra, divididas em seis volumes e resultado do engenho da pena desse observador atento que foi Gaspar Frutuoso, encerram o mais importante repositório de história, vida, usos e costumes, fauna, flora e geografia dos arquipélagos atlânticos no limiar do século XVI. A descrição é resultado, não só, das disponibilidades de informação e documentação, como da importância de cada ilha e arquipélago.
Com a publicação, em 1873, de As Saudades da Terra com 30 notas de acrescentos da lavra de Álvaro Rodrigues de Azevedo e a síntese histórica escrita para o Dicionário Universal de Português Ilustrado de Fernandes Costa, despontava uma nova fase na historiografia madeirense que iria marcar as gerações vindouras com incidência particular na geração do Cenáculo de Alberto Artur Sarmento e do Pe. Fernando Augusto da Silva.
A partir da Introdução escrita por Alberto Vieira para a edição fac-similada de As Saudades da Terra, integrada nas comemorações do 5º Centenário da Cidade do Funchal

GASPAR FRUTUOSO
(1522-1591) viveu 69 anos repartidos pela juventude atribulada na península ibérica (1558-1560-1565), à procura de um saber que então não existia nas ilhas e que só poderia ser alcançado em Salamanca, Coimbra ou Évora, e pela actividade eclesiástica na freguesia da Ribeira Grande (1569-1591). Em Salamanca adquiriu, em 1558, o bacharelato em Artes e Teologia, enquanto em Portugal, no período de 1560 a 1565, recebeu o título de doutor, provavelmente em Évora. Na mesma procura das fontes de sabedoria acompanhou-o o conterrâneo e amigo Gaspar Gonçalves que em Salamanca adquiriu o título de doutor em 1557, regressando à Ribeira Grande onde exerceu medicina.Pouco ou nada se sabe da sua origem e parentesco, bem como da sua vida agitada de 69 anos. A parte mais conhecida resume-se aos últimos 26 anos em que exerceu o magistério sacerdotal na Ribeira Grande. Nesse período dedicou-se com devoção à vida paroquial e à prática de caridade, dentro e fora da ilha. Em 1566, aquando do assalto francês ao Funchal, fez um peditório a favor dos madeirenses, tendo enviado à Madeira trigo e dinheiro. É comum atribuir-se ao livro quinto foros de autobiografia, surgindo a história dos dois amigos como a aventura e infortúnio de Frutuoso e Gaspar Gonçalves na juventude.
OBRA
Gaspar Frutuoso (1522-1591) nos seis livros que escreveu traça-nos a memória do mundo insular, sob o epíteto de As Saudades da Terra. Do primeiro ao último volume estabelece um périplo pela História e actualidade das ilhas: Livro I - Cabo Verde e Canárias, Livro II-Madeira, Livro III - Açores: Santa Maria, Livro IV - Açores: São Miguel, Livro V - Poema - história dos dois amigos de S. Miguel, Livro VI - Açores: Terceira, Faial, Pico, Flores, Graciosa e Pico de S. Jorge.
Nota do Blogue: Existem pelo menos duas variantes da edição das «Saudades da Terra de Gaspar Frutuoso com as notas de Álvaro Rodrigues de Azevedo», uma com a data de 1870 (da qual possuo um exemplar, infelizmente sem a gravura do Gonçalves Zargo) e outra com a data de 1873. Já vi, numa colecção particular, um exemplar com duas folhas de rosto, uma com data de 1870 e a outra com a data de 1873. O conteúdo, paginação e dimensões são idênticas.
A data correcta deverá ser 1873, pelo menos é a mais comum. A outra data poderá ter sido um aproveitamento de uma edição publicada em 1870, na mesma tipografia (não mencionada na Madeira Investigação Bibliográfica), mas sem as anotações do Álvaro Rodrigues de Azevedo. Ou será que houve mesmo duas edições?

PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS - Manuel Gomes Branco

Branco , Manuel Gomes – PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS ,  Lisboa: Livraria A. M. Pereira, Imprensa Nacional, 1879-1895. 5 volumes.  In...