terça-feira, Julho 06, 2010

Registo de baptismo de Manuel Maria Barbosa du Bocage - Arquivo Distrital de Setúbal (2009)

13 de Janeiro de 2009
Registo de baptismo de Manuel Maria Barbosa du Bocage


Livro de baptismos da paróquia de São Sebastião, fólio 176v (PT-ADSTB-PSTB05/1/8_m0176v)

O registo em causa documenta o baptismo do ilustre poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage, uma das figuras mais marcantes da poesia portuguesa.
Manuel Maria Barbosa du Bocage nasceu em Setúbal, na freguesia de São Sebastião, a 15 de Setembro de 1765. Filho de José Luís Soares Barbosa e de Mariana Joaquina Xavier du Bocage, foi baptizado no dia 29 de Setembro na igreja matriz de São Sebastião, tendo sido seus padrinhos Heitor Mendes Botelho e D. Luísa Matilde Boaventura, religiosa do Mosteiro de São João.
Bocage, com 16 anos de idade, assenta praça no Regimento de Infantaria 7, onde permaneceu cerca de dois anos. A 15 de Setembro de 1783 foi admitido na Academia da Marinha e, apesar de ter desertado no final do curso, acabou por ser nomeado pela rainha D. Maria I como guarda-marinha.
Por essa altura já Bocage se revelava como um poeta de eleição, sendo famosas em Lisboa a sua poesia e a sua veia boémia, bem como as suas sátiras de acentuado teor erótico, que granjeavam muitos aplausos em tertúlias de café.
Em 1786 parte com destino à Índia, na qualidade de guarda-marinha, a bordo da Nau “Nossa Senhora da Vida, Santo António e Madalena”. Passou pelo Rio de Janeiro e pela Ilha de Moçambique, antes de chegar à Índia. Em Goa frequenta a Aula Real da Marinha. É promovido a Tenente de Infantaria e colocado em Damão, acabando por ser dado como desertor em 1789, tendo embarcado para Macau de onde regressa a Portugal.
Em 1790, Manuel Maria Barbosa du Bocage é convidado para integrar a Academia das Belas Artes, também conhecida com Nova Arcádia, onde adoptou o pseudónimo de Elmano Sadino. Em 1791 é publicado o primeiro volume de Rimas, cujo lançamento é um estrondoso sucesso, sendo a década seguinte aquela em que regista uma maior produção literária.
Em Agosto de 1797 é dada ordem de prisão a Bocage. Fica preso na cadeia do Limoeiro, sendo posteriormente transferido para os cárceres do Santo Ofício, e mais tarde para o Real Hospício das Necessidades. Sai em liberdade em 1798.
Faleceu em Lisboa a 21 de Dezembro de 1805, com 40 anos, vítima de aneurisma.
Para perpetuar a sua memória foi-lhe erguida uma estátua diante dos Paços do Concelho de Setúbal, na Praça com o seu nome.
O dia 15 de Setembro, data do seu nascimento, é a data do Feriado Municipal de Setúbal.