quinta-feira, março 19, 2009

«Alberto Artur Sarmento» no Elucidário Madeirense

Sarmento, Alberto Artur. Filho de Artur Adolfo Sarmento e de D. Margarida Henriques Sarmento, e nasceu no Funchal a 7 de Julho de 1878. Frequentou as antigas Escolas Politécnica e do Exército, e foi despachado alferes de infantaria a. 25 de Outubro de 1930, sendo presentemente tenente-coronel e fazendo parte do regimento de infantaria n.º 27, onde sempre tem servido desde que veio para a Madeira. Além de escritor ele-gante e imaginoso, como o mostram os muitos artigos literários que tem publicado nos jornais funchalenses, e nomeadamente no Heraldo da Madeira, de que foi um dos redactores, é também um dos madeirenses que melhor conhecem a história, a geologia e a mineralogia do arquipélago, tendo publicado sobre a primeira destas especialidades vários escritos de valor.
Por ocasião duma visita que fez à Deserta Grande, fez aí algumas colheitas botânicas, e as suas colecções petrológicas do arquipélago são das mais completas que se conhecem. Foi-lhe dedicado o Scirpus pungens, varieda-de Sarmentoi, ciperácea espontânea que vive nas proximidades da capela de São João e é uma das plantas mais raras da Madeira.
O tenente-coronel Sarmento é professor provisório do liceu do Funchal (1921), cavaleiro da Ordem de São Tiago, membro auxiliar da antiga Sociedade de Geografia do Mans (França), sócio correspondente da So-ciedade de Geografia de Lisboa e de outras sociedades científicas e literárias nacionais e estrangeiras (1921).
Segundo se lê em um dos seus últimos trabalhos publicados, tem dado à luz os seguintes escritos:
As Desertas; As Selvagens; O Funchal; Os alicerces para a história militar da Madeira; Ascendência, naturalidade & Mudança de nome de João Fernandes Vieira; As migalhas; Um ponto de História Pátria; His-tória Militar da Madeira; Corografia elementar do arquipélago da Madeira - Noções mínimas; Homenagem a João Fernandes Vieira; Madeira - 1801-02: 1807-1814; Um auto na Achada; Santo António de Lisboa bosquejado na Madeira; A Madeira e as Praças de África; As Freguesias da Madeira; Notícia histórico-militar sobre a Ilha do Porto Santo; Ecos da «Maria da Fonte» na Madeira; Moedas, Selos, Papel Selado e Medalhas na Madeira; Fasquias da Madeira; Os peixes dos mares da Madeira, (em colaboração com Adolfo de Noronha); As aves do arquipélago da Madeira; Mamíferos do arquipélago da Madeira; Subsídio para o estudo das Formigas da Madeira; Os escravos na Madeira; Lenda de pedra; Ensaios histórios da minha Terra; Ripas da Madeira; Répteis e Batráquios; Notas e documentos sobre a época de D. João IV na Madeira; As pequenas indústrias da Madeira; Nossa Senhora da Esperança; Ensaios Históricos - Ilha da Madeira, Redemoinho de folhas; Santo António Pregador - Santo António Militar; A Princesa do Reino-Unido Portugal Brasil na Ilha da Madeira; Quadros sem aro; Vila e Freguesia de S. Vicente; A propósito do grande Brotero; Brotero dá parecer sobre a estufa de Bânger - Ilha da Madeira, À Sobremesa, - Três frutos exóticos.
Convidado a colaborar no Elucidário Madeirense, enviou-nos somente os artigos Doação da Ilha da Madeira, Donativo, Ex-Libris, Ferro, Fortificações, Fotografia, Geologia e João Fernandes Vieira, que ocupam uma dúzia de páginas desta obra, sendo bastante para lamentar que não fosse mais larga a sua colaboração, em vista dos profundos conhecimentos que possui, acerca de todos os assuntos que interessam à vida do nosso arquipélago, e dos seus tão apreciados méritos de notável escritor.

In Elucidário Madeirense, Vol. III, O-Z.

http://www.nesos.net/imgdocs/nesos_publicar/ebooks/Alberto_Sarmento/Alberto_Sarmento.pdf

PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS - Manuel Gomes Branco

Branco , Manuel Gomes – PORTUGAL E OS ESTRANGEIROS ,  Lisboa: Livraria A. M. Pereira, Imprensa Nacional, 1879-1895. 5 volumes.  In...